sexta-feira, 9 de outubro de 2015

PROGAMA DE LANÇAMENTO



Dia 10/10/215
  • Carapinheira Local: Museu do Campo 16h00 – Apresentação do livro infantil “A plantinha dos meus pais” de Manuela Ribeiro (escritora) e Nídia Nair Marques (ilustradora) 17h00 – Lançamento do livro de poesia “Pescador de Pérolas” de Daniel Costa 17h15 – Leitura de poemas pelo Grutela – Grupo de Teatro da LACAM 17h30 – Momento musical com a Escola de Música Clave de Sol
     
    Afonso Reis Cabral – Portugal (escritor, Prémio Leya 2014) Rachel Caiano – Portugal (ilustradora) Lopito Feijó – Angola (escritor) Goretti Pina – São Tomé e Príncipe (escritora e criadora de moda) Isabel Rei Samartim – Galiza (Associação Cultural Pró-Academia Galega de Língua Portuguesa) Jorge Serafim – Portugal (humorista e contador de histórias) Izadora Valladares – Brasil (editora) Angela Feingold – Brasil (presidente da Academia de Letras e Artes de Fortaleza)
    Carapinheira
    Local: Museu do Campo
    16h00 – Apresentação do livro infantil “A plantinha dos meus pais” de Manuela Ribeiro (escritora) e Nídia Nair Marques (ilustradora)
    17h00 – Lançamento do livro de poesia “Pescador de Pérolas” de Daniel Costa
    17h15 – Leitura de poemas pelo Grutela – Grupo de Teatro da LACAM
    17h30 – Momento musical com a Escola de Música Clave de Sol
    Fica aqui, em fac-simile, o poema RUY DE CARVALHO, em sua homenagem.
    PEDIDOS DE LIVRO “O PESCADOR DE PÉROLAS”, POR TELEFONE 932795115; E- MAIL dan.costa@zonmail.pt OU CONTATOS FACEBOOK – Daniel Cordeiro Costa.
O escritor Daniel Costa, com o grande ator Ruy de Carvalho na freguesia da Ereira, Montemor-o-Velho.



 

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

LANÇAMENTO


O PESCADOR DE PÉROLAS, SENDO O MEU DÉCIMO LIVRO, SERÁ TAMBÉM O QUE TERÁ LANÇAMENTO MAIS RELUZENTE. MARCANDO O QUE VALEM CINCO ANOS DE TRABALHO EM PROL DA CULTURA.

Dia 10/10/215
  • Carapinheira Local: Museu do Campo 16h00 – Apresentação do livro infantil “A plantinha dos meus pais” de Manuela Ribeiro (escritora) e Nídia Nair Marques (ilustradora) 17h00 – Lançamento do livro de poesia “Pescador de Pérolas” de Daniel Costa 17h15 – Leitura de poemas pelo Grutela – Grupo de Teatro da LACAM 17h30 – Momento musical com a Escola de Música Clave de Sol
     
    Afonso Reis Cabral – Portugal (escritor, Prémio Leya 2014) Rachel Caiano – Portugal (ilustradora) Lopito Feijó – Angola (escritor) Goretti Pina – São Tomé e Príncipe (escritora e criadora de moda) Isabel Rei Samartim – Galiza (Associação Cultural Pró-Academia Galega de Língua Portuguesa) Jorge Serafim – Portugal (humorista e contador de histórias) Izadora Valladares – Brasil (editora) Angela Feingold – Brasil (presidente da Academia de Letras e Artes de Fortaleza)
    Carapinheira
    Local: Museu do Campo
    16h00 – Apresentação do livro infantil “A plantinha dos meus pais” de Manuela Ribeiro (escritora) e Nídia Nair Marques (ilustradora)
  • 17h00 – Lançamento do livro de poesia “Pescador de Pérolas” de Daniel Costa
  • 17h15 – Leitura de poemas pelo Grutela – Grupo de Teatro da LACAM
    17h30 – Momento musical com a Escola de Música Clave de Sol
     
     

quinta-feira, 30 de julho de 2015

CAPA ABERTA PESCADOR DE PÉROLAS

CAPA DE PESCADOR DE PERÓLAS, A SER LANÇADO EM OUTUBRO 2015.


segunda-feira, 14 de julho de 2014

PREFÁCIO



PREFÁCIO!

Fazer parte da escrita do poeta e escritor Daniel Costa, me faz chegar mais um convite, para mais  um prefácio de mais um livro.

Desta vez o precioso olhar franco - português, poeta auto definido; consegue capturar o espírito poético dentro das conchas, se fazendo pescador de pérolas, do qual deu título ao seu livro.
           
Fazendo um comparativo entre o poeta e seus poemas. Traduzo que a concha é internamente revestida por um nácar (madrepérola) que seja um grão de areia, invadido do qual transforma-se em pérola.


Assim é o livro do poeta Daniel Costa, que ganhou esse título por usar a transformação da pérola em seus lindos poemas.

Através do seu conhecimento oculto e das palavras muito sábias. Sabe-se que a escrita é uma aventura perigosa. E é dela que o escritor e poeta Daniel Costa que se registra e se revela, em cada novo livro que escreve. Nas palavras encontra-se o desafio que faz dela sua obra maior.

Vejo o poeta Daniel Costa como um protagonista de si mesmo, pois diante da sua formação literária, penetra por entre lugares usando o olhar e as palavras que afina a lente e um amor incondicional pelo país irmão, do qual me encanta.

           
Viajando fundo em suas raízes, reconstrói caminhos dentro da escrita que tem como missão preservar e difundir sua obra, que tanto o inspira.

Seu legado será responsável por nos tocar de forma definitiva e de nos impregnar no essencial.

Segundo a mitologia grega a deusa a Afrodite nasceu de dentro de uma concha de madrepérola gerada pelas espumas do mar. Segundo a literatura.

O poeta Daniel Costa renasceu depois de um AVC, do qual foi transmutado em unicidade por amor a vida.
          
Se no silêncio das profundezas do mar, as pérolas são como símbolo de sabedoria. Do PESCADOR DE PÉROLAS, concluo que seja um livro carregado de poemas, que desafia qualquer leitor a ler com o risco de se apaixonar e se enamorar pelo conjunto de poemas.


Severa Cabral (escritora)

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

POEMA HUMILDADE, VIDA DE PRECIOSIDADE







 HUMILDADE, VIDA DE PRECIOSIDADE 


 Deidade
Esvoaçante
Humildade
Amor dominante
Sem caducidade
Vida amante
Amante da verdade
Amor reinante
Interagindo com tenacidade
Como ave esvoaçante
Grunhindo da desumanidade
Ave migrante
Fugindo da tempestade
Voo rasante
Amando a liberdade
Estruturante
Amor sem maldade
Brilhante
Humildade, vida de preciosidade
 Preciosidade de amante
Sagacidade,
Se encontra outra variante
Ruindade
Insinuante
A impedir o voo da felicidade
Invejas a espreitar num mirante
Com olhar de insanidade
Qual ave errante
Humildade, vida de preciosidade
Em cor berrante
Humildade, vida de preciosidade!


Daniel Costa


domingo, 5 de janeiro de 2014

POEMA AMOR ETÉREO E IMACULADO





AMOR ETÉRIO E IMCULADO  

Vigor de amado
Vestido branco presente
Amor etéreo e imaculado
No seio da multidão se pressente
A possibilidade de ser seu namorado
De tanta beleza ficará temente
Ali na areia como pedestal enluarado
Haverá festa! A alvura é entorpecente!
Se vista de outro ângulo, se de outro lado
O desejo de amar quele anjo é premente
De branco sagrado
O ser será polivalente?
Quis sentir quanto seria amado por um ser venerado?
Todo o mundo olhava a sua silhueta ardente
Olhava-se e sentia-se fé, no anjo sagrado
Que podia um pobre de Deus, um penitente?
 Naquele momento sarar o pecado!
Para ter direito a ser o presente
Do anjo enlevado, de brancura tomado
Viver num mundo de felicidade permanente
Ser o cavaleiro do condado
Foi desejo convincente
Nisto pestanejou, olhou para o lado
Tudo se tinha esfumado de repente
Já não mais se viu o branco imaculado
Ficará para sempre a visão adjacente
Amor etéreo imaculado! 

Daniel Costa

sábado, 4 de janeiro de 2014

POEMA AMOR DE COR QUENTE




 






AMOR DE COR QUENTE  


Paisagem saliente
Sobressai o amor belo
Amor de cor quente
Mundo de otimismo singelo
Mundo diferente
Tom de violoncelo
O que prende a gente
O olhar com zelo
O olhar do poeta reverente
Num mundo onde sobressai o amarelo
O verde confluente
Azul em tom escuro é apelo
Amarelo verde, azul, formam o eloquente
O que configura castelo
O amor permanente
Amor em figura de modelo,
Modelo influente
Amor sem paralelo
Amor de fé e positivismo afluente
Com um gostinho a caramelo
Infinitamente anuente
Nada a ver com Desdêmona e Otelo
Terno e eterno confluente
Amor de infinito zelo
Por força transparente
Com o sol a faiscar no amarelo
Amor de cor quente
Com ele bonito e brilhante cabelo
Amor de cor quente!


Daniel Costa