domingo, 25 de junho de 2017

POEMA POETA E O AMOR PLATÓNICO

Foto de Literartura.

POETA E O AMOR PLATÓNICO

Poeta e o amor platónico,
Platonismo, a verdade do poeta,
Do poeta romântico, harmónico,
Sua conduta de segurar a luneta,
Verso lírico, acróstico,
Como se fosse pin em camiseta
Poeta e o amor platónico,
Sonho louco (?), de historieta,
Alto mar, mundo babilónico,
Mundo empírico de cometa,
Rodeios de romantismo, canónico,
Versatilidade de eterna meseta,
Poeta e o amor platónico,
Raios dourados, ultravioleta,
Porque não radiofónico?
Porque não medida de ampulheta?
Dicotomia, de coral polifónico,
Amor de forma indirecta,
- Poeta e o amor platónico…

Daniel Costa



quarta-feira, 21 de junho de 2017

POEMA JOHANNES GUTENBERG

Foto de Literartura.

JOHANNES GUTENBERG

Johnnes Gutenberg
Sua divina arte de impressão,
Bem podia ter nascido em Nuremberg,
Também se situa na Alemanha, concessão,
Mogúncia, que transformou em iceberg
O poeta-cronista baseou nessa arte, a sua missão,
Johannes Gutenberg,
Mais o seu papel principal na caracterização,  
Do renascimento, na imprensa, como se fora Spielberg,
 Vida de filósofo de enorme visão!
Na criação de caracteres móveis foi génio, como Schomberg
Visão de futuro, de grande repercussão
Johannes Gutenberg
Revolucionou a imprensa, de social ascensão,
 Daí foram criadas máquinas de impressão, até a heidelberg
Até à sua particular disseminação!
A arte de gráfica de reprodução, a revolucionar o mundo,
O mundo da Cultura, intemerata convicção!
Johannes Gutenberg,
Iniciador do padrão, na idade média, cultural agitação!
Divina arte de impressão!...

Daniel Costa

sábado, 17 de junho de 2017

POEMA SOL DE ANIVERSÁRIO

Foto de Literartura.

SOL DE ANIVERSÁRIO


Sol de aniversário
Luar transversal à galáxia
Do bairro emissário,
Felicidade na ortodoxia
Florido anuário
Flor de heterodoxia
Sol de aniversário,
Luar transversal à galáxia
Gozoso arenário
Brilho de afrodisia
Frescura de balneário
Amor de alquimia
Sol de aniversário
Clarividência de astrologia,
De consciência depositário
Confidencial apologia,
Memorial fontanário!...
Planeta de cinescopia,
Sol de aniversário
Luar transversal à galáxia,
Do bairro emissário!

Daniel Costa


quarta-feira, 14 de junho de 2017

POEMA A ESTRELA DO TEU OLHAR

Foto de Literartura.

A ESTRELA DO TEU OLHAR

A estrela do teu olhar,
Olhar terno de alvura,
Desejo a desfolhar
Alteza de gravura,
Rolinha a arrolhar,
Passadeira de brancura
A estrela do teu olhar,
Do céu arquitectura
Brilho a compartilhar,
Ternura de escultura
Brilho a maravilhar
Infinita doçura
A estrela do teu olhar
Tez de bordadura
Esbelteza a rendilhar,
Regalo de cinzeladura
Desejo a borbulhar,
Olhando bonita nervura
A estrela do teu olhar,
Olhar terno de alvura.

Daniel Costa


domingo, 11 de junho de 2017

POEMA APRENDENDO SER NOVO

Foto de Literartura.


 APRENDENDO A SER NOVO

Aprendendo a ser novo
É a minha orientação
Bem me podem Chamar coevo!...
Fico tranquilo na estação,
Medito e com poesia trovo…
Tentando a prestidigitação,
De ser repetidas vezes vovô
Olhando o amor; plantação,
Aprendendo a ser novo,
Desejada aculturação,
Verdura do amigo povo,
A sua manifestação
Poeta na terceira idade?
Desenvolvo a criação,
Em poesia aprovo,
Aprovo cada geração
Aprendendo a ser novo,
Amando como definição
Aprendendo a ser novo,
É a minha orientação…

Daniel Costa


quinta-feira, 8 de junho de 2017

POEMA FLOR A JUSANTE

Foto de Literartura.

FLOR A JUSANTE

Flor a jusante
Brilho que seduz
Margem repousante
Que a flor traduz
Brilho frisante
Angélica luz
Flor a jusante
Amor poético traduz
Potro galopante
Lisura que reluz
Paisagem frisante
Rigor que introduz
Flor a jusante
Brilho que seduz

Daniel Costa


domingo, 4 de junho de 2017

POEMA AMO A PRINCESA

Foto de Literartura.

AMO A PRINCESA

Amo a princesa
Ela, diva, não suspeitará
Saberá de surpresa,
No meu coração reinará,
Aveludada como framboesa
Arrebata e arrebatará!
Amo a princesa,
Por ela o coração pulsará.
Infinitamente; tenho a certeza,
Paixão insensata, será?
Ela já nasceu duquesa,
O amor de poeta reinará!...
Amo a princesa,
Amor que reconfortará
Ainda que fosse prioresa
O brilho de alteza, jamais se ofuscará,
A poesia será, defesa…
A poesia me salvará,
Amo a princesa,
Ela à minha poesia se renderá


Daniel Costa

sexta-feira, 2 de junho de 2017

POEMA JORNALEIRO E JORNALISTA


Foto de Literartura.Foto de Literartura.Foto de Literartura.


Foto de Literartura.


Foto de Literartura.

Foto de Literartura.

JORNALEIRO E JORNALISTA

Jornaleiro e jornalista…
Porque não escritor?
Se poeta aparece na lista!
Duzentos “explorei” no meu labor?
Duzentos patrões haja em vista!
Sempre afincado e com fervor,
Esperança é fé na pista,
Sempre compulsivo leitor!
Quereis saber meu pendor biblista -
- Onde chegou o pundonor?
Imaginava… não sou calculista!
Ajudava o meu progenitor
Prefiguro mente de idealista
Antes das aulas já ajudava com fervor!
Hoje se diria comando imoralista
Porém obedecer escorreito era louvor
Em breve foi pastor vero e virtualista,
Aprendiz de pescador e mariscador,
Criado de lavoura, estilista
Intervalei, de loiça consertador… gateador,
Padeiro breve e generalista,
De brinquedos; artesão construtor,
De madeira: mãos de artista
Jogos de matraquilhos autor
Mesas secretárias artesanais, activista
De muito mais projector
Jornaleiro, de jorna, já niilista?
Vinhateiro, nunca entendi de escultor
Fechei de modo altruísta
Na colheita do trigo, motivado segador,
Depois guerrilheiro optimista,
Virando trabalhador estudante reflector
De bebidas balconista, idade de arrivista,
Coordenador de escritório, de empresário gravador
Ainda um salto… da feitura livros, epigrafista
De parasitas; exterminador
Secretário de Direcção, também na lista
Criação fazendo parte de cultor:
- Na Direcção de associações, altruísta
Sempre tendo em vista, o subscritor,
De editor livreiro promotor
Criador, editor e Director de Revista,
Titulou-se FRANQUIA, eu ainda seu inspector,
Freelancer eterno espiritualista,
Jurado de literatura, condutor
Jurado internacional, filatelista
Jornaleiro, jornalista,
Poeta escritor…
Enfim - solista…

Daniel Costa