domingo, 16 de julho de 2017

POEMA CLARIVIDÊNCIA E HUMILDADE

moda, cultura, atualidade, futebol, maquilhagem, tendências, mulheres, decoração, homens, destinos

CLARIVIDÊNCIA E HUMILDADE

Clarividência e humildade
Visão envergonhada, em permanência
Contudo se patenteie a sagacidade
Com a eterna deferência
Haja rigor no desejo de igualdade
Deverá ser mantida a congruência
Constância e desejo da afabilidade
Desejo de permanente grandiloquência
Clarividência e humildade
Poder pressupor-se, de vigor abrangência
 Se desenganem os cobardes, dessa simplicidade
Dessa humilde e natural ciência
Que se empolga na procura da autenticidade
Que se manifesta na contingência,
Com humilde naturalidade
Grande manifestação de decência
Clarividência e humildade
Sempre a verdade como referência
Rigor e compatibilidade
Diga-se não à incoerência
Elites o sejam, fazendo avançar a sociedade
Tornem rica e pura a sua existência
Clarividência e humildade!...

Daniel Costa

quarta-feira, 12 de julho de 2017

POEMA ANJO CONVERGENTE

Foto de Literartura.

ANJO CONVERGENTE

Anjo convergente
Velando em permanência
Planando, diligente
Perante deuses, clemência
Oratória fulgente
Perfeita clarividência
Paciência de guardião agente
Juiz de competência
Anjo convergente
Alegre, apelando à consciência,
Velando continuamente
Máxima congruência
Galhardia atraente
Misericórdia e persistência
Operário de eminência
Anjo convergente,

Daniel Costa

domingo, 9 de julho de 2017

POEMA ATÉ SEMPRE CAMARADA

Foto de Literartura.

ATÉ SEMPRE CAMARADA

Até sempre camarada
Despedida de militar,
Despedida da amada,
Encontros a perpetuar
Despedida de letrada
Entre políticos auditar
Até sempre camarada,
Todo o mundo a deve gritar,
A frase deve ser doirada,
Para o mundo ser um altar,
Para uma vida de alvorada,
 De todo o mundo respeitar
Até sempre camarada,
Quem és, não vou perguntar
À humildade demos uma mirada,
Iremos afinidades estreitar
Seja a vida para sempre ramada,
Para na sombra se descansar,
Até sempre camarada!...

Daniel Costa

quinta-feira, 6 de julho de 2017

POEMA PLANTA FLORIDA


Foto de Literartura.

PLANTA FLORIDA

Planta florida,
Juncando o caminho,
Parecendo ermida,
Que se olha com carinho,
Atapetando a vida,
Prefigurando pergaminho,
Rumando definida,
Enfrentado qualquer redemoinho,
Planta florida,
Encanto de azevinho,
Sem rede, ou compartida,
Caminhando sozinho,
Passada incontida
Planta de rosmaninho,
Alma feliz, garrida,
Pomo romântico, risonho,
Planta florida

Daniel Costa

terça-feira, 4 de julho de 2017

POEMA AMOR ONOMATOPEICO

Foto de Literartura.


AMOR ONOMATOPEICO

Amor onomatopeico,
Devoção, fingida evocação,
Onomatopeia será pragmática(o)
O amor é, ao Senhor, oração,
Arco, gravador, voltaico
Luz de redenção,
Amor onomatopeico,
 Figurativo, de equivocação,
Jeito de mosaico!
- Amor de levitação,
Altivo, aforístico,
Moderna, união
Amor onomatopeico, 
Estados de comunhão,
Angélico e metódico,
Marés de meditação,
Sonho profético,
Se sonhado, tem realização,
Amor onomatopeico!...

Daniel Costa


sexta-feira, 30 de junho de 2017

POEMA PATAMAR DO TALENTO

Cate Blanchett /lnemnyi/lilllyy66/ Find more inspiration here: http://weheartit.com/nemenyilili

PATAMAR DO TALENTO

Patamar do talento,
Vontade de executar diferente,
Talentosa força de alento
Dueto vivaz, conferente,
Apadrinhando o acontecimento,
Transformando-o numa torrente,
Patamar do talento,
Felicidade infinita, reverente,
 Crisma de advento,
Romantismo procedente,
Visão de arroubamento
Amizade aglutinante!
Patamar do talento
União transparente,
Avaliação de arrebatamento!...
Transparência abarcante,
Fidelíssimo de calor suculento,
Luzeiro militante,
Patamar do talento,
Vontade de executar diferente,

Daniel Costa

quinta-feira, 29 de junho de 2017

POEMA PEDROGÃO GRANDE

Resultado de imagem para imagens de pedrogão grandeResultado de imagem para imagens de pedrogão grande
Resultado de imagem para imagens de pedrogão grande

PEDROGÃO GRANDE

Pedrogão Grande
Beleza, dando tragédia,
Fica então onde?
Podemos ver em enciclopédia,
Nas maravilhas que Portugal suspende,
No distrito de Leira, trovoada seca, sandia
Pedrogão Grande
Floresta, declives e pedraria
Tragédia de cinzas, onde se jogou o berlinde,
Zona de vorazes fogos, como o viu a moradia,
Deus, Senhor Visconde!
Que incêndio, que rebeldia!
Pedrogão Grande,
Fogo, que ousadia!
Dezassete de Junho, do céu veio a sande,
Dois mil e dezassete trovoadas mui secas; judias!
Pedrogão Grande, onde a tragédia se esconde!

Daniel Costa

segunda-feira, 26 de junho de 2017

POEMA O AMOR ANDA NO AR, EM FESTA

Foto de Literartura.

O AMOR ANDA NO AR, EM FESTA

O amor anda no ar, em festa,
Festa de amor e vida,
Continuando sua seresta,
 Comummente sentida,
Padrões de abundante giesta,
Amorosa e faiscante, arremetida
O amor anda no ar, em festa,
Festa de amor e vida,
Denodo de aguarelista
Indulgência de despedida
Dose de amor altruísta,
Fulgor de alegria mantida,
O amor anda no ar, em festa,
Festa de amor e vida,
Alegria, em rodopio de conquista,
Alvoroço em dança mexida,
Esboço de pintor, ou cronista,
Coração em constante batida,
O amor anda no ar, em festa,
Festa de amor e vida!

Daniel Costa


domingo, 25 de junho de 2017

POEMA POETA E O AMOR PLATÓNICO

Foto de Literartura.

POETA E O AMOR PLATÓNICO

Poeta e o amor platónico,
Platonismo, a verdade do poeta,
Do poeta romântico, harmónico,
Sua conduta de segurar a luneta,
Verso lírico, acróstico,
Como se fosse pin em camiseta
Poeta e o amor platónico,
Sonho louco (?), de historieta,
Alto mar, mundo babilónico,
Mundo empírico de cometa,
Rodeios de romantismo, canónico,
Versatilidade de eterna meseta,
Poeta e o amor platónico,
Raios dourados, ultravioleta,
Porque não radiofónico?
Porque não medida de ampulheta?
Dicotomia, de coral polifónico,
Amor de forma indirecta,
- Poeta e o amor platónico…

Daniel Costa